MU.SA - Museu das Artes de Sintra

 

O MU.SA é um museu que nos propõe uma viagem pela arte figurativa existente na Coleção Municipal de Arte Contemporânea, através da pintura e da escultura produzidas por artistas portugueses e estrangeiros residentes em Portugal, mas não só: tem uma programação polivalente e plural, com obras de arte com temas e técnicas diferenciadas de autores de várias gerações, e trabalhos de artistas marcantes no panorama concelhio, nacional e internacional.

350x350_museusMUSA.jpg

Este espaço museológico, que se encontra no antigo Casino, junto ao Centro Cultural Olga Cadaval, tem ainda uma zona para fotografia, uma Livraria Municipal e uma Galeria Municipal onde são apresentadas exposições temporárias de artistas.

 

Image
Na secção "Desenhos para colorir" tens um desenho do Pintas, a mascote do MU.SA,  para pintar.

... a estátua no topo do edifício do antigo Casino de Sintra (ex-Sintra Museu de Arte Moderna) é do artista José da Fonseca?

MU.SA - Museu das Artes de Sintra

Av. Heliodoro Salgado, Estefânia

2710-575 SINTRA

Receção / Livraria Municipal / Bilheteira CCOC: +351 219 236 101/ +351 219 243 794

Email: dbmu.livraria.municipal@cm-sintra.pt 

Serviço Educativo: +351 219 236 106 /+351 965 233 692

Artes Plásticas: +351 219 236 105

Email: dbmu.servico.educativo@cm-sintra.pt 

Vamos descobrir mais em família, lendo em conjunto

Texto retirado do sítio na Web "The Berardo Collection", sobre o museu que funcionou, até 2011 neste edifício:
Sintra Museu de Arte Moderna, nasceu para acolher, desde 1997, um precioso tesouro: a Coleção Berardo de Arte Moderna e Contemporânea, importante número de obras de arte internacional, moderna e contemporânea, com uma perspetiva do que tem sido a arte europeia e americana, do início do século XX aos nossos dias.
 
O Museu apresentou exposições temporárias organizadas por movimentos artísticos, como por exemplo: o Surrealismo, o Grupo Cobra, a Abstração, o Expressionismo Abstrato Americano, a Arte Minimal, a “Color Field Painting”, a Arte Cinética e “Op”, a “Pop Art”, a Fotografia e os Anos 90.
 
A exposição de maior dimensão foi “Autobiografia” de Júlio Pomar, uma antologia representativa de toda a obra do pintor, desde o início da sua carreira. Também o espólio de Erich Kahn foi revisitado em Sintra, a celebrar os sessenta anos da libertação dos campos de concentração nazis, numa mostra de teor histórico intitulada “Geração Esquecida: Erich Kahn, Judeu, Sobrevivente, Expressionista Alemão”. Uma outra grande exposição foi “Fernando Lemos e o Surrealismo”, que depois de ter sido apresentada em Sintra, partiu para a Madeira, para o Centro de Artes da Calheta.
 
Com o intuito de expor jovens artistas, o Museu marcou um espaço como “Nova Galeria”, onde tiveram lugar obras de Adriana Molder, Catarina Leitão, Joana Vasconcelos, Sara Maia, João Pedro Vale, Miguel Navas, Do ponto de vista temático, tiveram especial relevo as mostras “Sedução, Cinema e Pintura” e “Art Deco”, organizada com todo o núcleo deco da Coleção Berardo, em colaboração com o Musée des Années 30 e o Museu do traje.
Na sua programação, houve também mostras centradas num único artista, representado na Coleção Berardo. Foi o caso de “Living” de Michael Craig Martin, das esculturas “Sintra-Granada” de Susana Solano, da obra “Nem sombra nem vento” de Carlos Nogueira. Em 2000, a exposição “Durante o Fim” do escultor Rui Chafes, organizada pelo Sintra Museu, ocupou além do espaço do Museu, o Palácio da Pena e o Parque da Pena.
A exposição de maior dimensão foi “Autobiografia” de Júlio Pomar, uma antologia representativa de toda a obra do pintor, desde o início da sua carreira. Também o espólio de Erich Kahn foi revisitado em Sintra, a celebrar os sessenta anos da libertação dos campos de concentração nazis, numa mostra de teor histórico intitulada “Geração Esquecida: Erich Kahn, Judeu, Sobrevivente, Expressionista Alemão”. Uma outra grande exposição foi “Fernando Lemos e o Surrealismo”, que depois de ter sido apresentada em Sintra, partiu para a Madeira, para o Centro de Artes da Calheta.
 
Com o intuito de expor jovens artistas, o Museu marcou um espaço como “Nova Galeria”, onde tiveram lugar obras de Adriana Molder, Catarina Leitão, Joana Vasconcelos, Sara Maia, João Pedro Vale, Miguel Navas, Do ponto de vista temático, tiveram especial relevo as mostras “Sedução, Cinema e Pintura” e “Art Deco”, organizada com todo o núcleo deco da Coleção Berardo, em colaboração com o Musée des Années 30 e o Museu do traje.