Percurso Histórico

A instituição do Museu Ferreira de Castro no casal de Santo António, localizado na Rua Consiglieri Pedroso, em plena “Vila Velha”, foi formalizada em 3 de abril de 1973, em consequência da doação feita pelo escritor do seu espólio ao Povo de Sintra, ficando a Câmara Municipal como fiel depositário.

Tendo Ferreira de Castro manifestado o desejo de que os seus restos mortais permanecessem em Sintra – como veio a suceder –, aceitou de bom grado a sugestão de «dois notáveis escritores, sintrense um, outro lisboeta, a quem a biblioteca da vila por nós amada prestava bons serviços para as suas pesquisas culturais», no sentido de que essa doação se fizesse. Trata-se de Francisco Costa, então diretor da Biblioteca Municipal, e Alexandre Cabral, que tinha na Camiliana de Sintra um apreciável acervo bibliográfico e documental para o desenvolvimento da sua investigação.

Grande mentor desta ideia foi, também, o então presidente da Câmara, António José Pereira Forjaz, que em reunião de Câmara de 18 de abril desse ano, leu em voz alta o texto da doação, aprovada por unanimidade e aclamação.

Em consequência do trabalho da Comissão Instaladora, integrada por Elena Muriel, viúva de Ferreira de Castro, Alexandre Cabral, Álvaro Salema e José Alfredo da Costa Azevedo, o Museu abriu as portas em 6 de junho de 1982.

 

Doação de Espólio

Interior

Escritório

Atividade